quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Quando choro/Não verto apenas lágrimas /Escorre-me o peso de não saber sentir/Os olhos sujam-se de tristeza/As lágrimas, essas, somente lhes dá clareza/Sequer deslavam o desamor em que insisto existir

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Vivi quase sempre no sonho Cedo me omiti da realidade Quando realizei o que não vivi Até para sonhar já era tarde E da não vida que se ...