terça-feira, 19 de abril de 2016

Sou perfeito a de mim mesmo
Saber guardar segredo
Não me confio, mesmo, mesmo
A conhecer o meu possível enredo
Nego-me, mesmo, mesmo, mesmo
Em orgulho, receios e, mesmo, medo
Dou-me, mesmo, mesmo, mesmo e mesmo
Apenas papel secundário no meu degredo
Simples figurante do que mim mesmo poderia ser; mesmo!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Vivi quase sempre no sonho Cedo me omiti da realidade Quando realizei o que não vivi Até para sonhar já era tarde E da não vida que se ...