sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

E de repente tudo se quedou/Deixaram de se ouvir os passos na rua/Toda a gente flutuava como chuva/Toda a gente era vento sem mais tempo/E novamente de repente tudo recomeçou/A chuva tinha parado, mas nada mais ficou igual

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Vivi quase sempre no sonho Cedo me omiti da realidade Quando realizei o que não vivi Até para sonhar já era tarde E da não vida que se ...