terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Já não sei o que é real
Tenho a mente infestada
Realmente doente
Tudo me parece nada
E do nada só me surge gente
Fictícia, sem existência
Personagens da minha cabeça
Uma quase demência
Que não acaba e sempre recomeça

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Vivi quase sempre no sonho Cedo me omiti da realidade Quando realizei o que não vivi Até para sonhar já era tarde E da não vida que se ...