terça-feira, 2 de setembro de 2014

"Tudo e Nada"

Sinto-me cerceado pela minha vontade
De de mim mesmo emigrar
Sair em busca da felicidade
E a mim, ao de sempre, não retornar

Buscar outra folha de papel
Escrever a história d'outra viagem
No verso traçar a pincel
O cenário de cada nova paragem

A vida é um curso de rio
Nasce na fonte doutrem
E desagua na foz de nós
Pelo meio fica a viagem
Ora doce, ora salgada
Ora tudo, ora nada

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Vivi quase sempre no sonho Cedo me omiti da realidade Quando realizei o que não vivi Até para sonhar já era tarde E da não vida que se ...