segunda-feira, 14 de novembro de 2011

"Mensagem Em Selo Sem Carta"

Raridade de traça retalhada
Tomou caminho de nova existência
Expedida, sem missiva ou morada
Nunca retornará à proveniência

Apostilha isenta de cola salivada
Despida de invólucro asfixiante
Transporta mensagem refrescada
Que anseia postar noutro quadrante

Solta do estigma de carmim carimbo
Que manchava o âmago de seu contorno
Livre de carta que o subjugava ao limbo
De ser figura sem vida e de mero adorno

Descobrindo que sê-lo só por si sem dona
O expediu rumo a portas de renovação
Desprendida a presilha, emergiu à tona
Flutuando em carta escolhida por sua mão

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Vivi quase sempre no sonho Cedo me omiti da realidade Quando realizei o que não vivi Até para sonhar já era tarde E da não vida que se ...