quinta-feira, 15 de setembro de 2011

"Seremos Sempre Nós"

Subtraídas as riquezas
Apagado o conforto
Prometidas novas tristezas
A vidas já fora de porto

Tragam-nos todo o imposto mal
Incutam-nos o pior desespero
Faremos de suas dores o sal
Em fio de doce retempero

Não quedaremos agoniados
Mas antagonistas fervorosos
Mesmo plenamente despojados
Viveremos dignamente orgulhosos

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Vivi quase sempre no sonho Cedo me omiti da realidade Quando realizei o que não vivi Até para sonhar já era tarde E da não vida que se ...