domingo, 6 de novembro de 2011

"Quando Eu Partir, Ignorem, Não Chorem"

Quando partir não quero ser lembrado
Apaguem o tempo, não me façam história
Retirem meu nome e feitos do passado
Não descerrem lápides, omitam-me da memória

Prefiro passagem sentida e marcante
Alegrando os que rodeio, cuidando-lhes o dorido
Nada melhor do que partir sem deixar o semblante
Dos que me amam triste e sofrido

Não vertam uma lágrima, não se compadeçam
Não rezem missas, não acendam velas
Deixem apenas que vossas almas arrefeçam
Abram novas portas e janelas

Que em vossos olhos se perfilem outros horizontes
Permitindo-vos viver melhor o que não consegui
Busquem vivência na paz de verdes prados e montes
E, somente, esqueçam que alguma vez vivi

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Vivi quase sempre no sonho Cedo me omiti da realidade Quando realizei o que não vivi Até para sonhar já era tarde E da não vida que se ...