quinta-feira, 27 de outubro de 2011

"Provavelmente Poeta De Um Deus Menor"

Escrita que lucidamente transpõe soberba interior
Egoísmo de autor que exala dor ansiando convertê-la em amor
Escriba que sublima prazer no desfolhar de sua interioridade
Na palavra que meticulosamente revê e aperfeiçoa, perde traço de humildade

Tal poeta, interessadamente, julga-se em direito de reconhecimento
Porque se tão esforçada é a libertação de seus sentimentos
Parece-lhe injusto e infundado ser remetido ao esquecimento
Exigindo antes loas e ser cantado na brisa de todos os ventos

O pensador que assim descerra e transcreve suas emoções
E sequiosa e vaidosamente aguarda por plena distinção
Não comunica de forma serena e desprendida de contemplações
Acabando por confinar o que escreve ao viés dos olhos de seu coração

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Vivi quase sempre no sonho Cedo me omiti da realidade Quando realizei o que não vivi Até para sonhar já era tarde E da não vida que se ...