sexta-feira, 28 de outubro de 2011

"Foi À Infância, E Prometeu Lá Voltar"

De exausta prontidão e incutida responsabilidade adormeceu
Sonhou-se pião girando que, livre de corda, se desprendeu
Rolou livremente como berlinde saído do bolso
Perdeu idade, experiência, mas sem anseio de reembolso

Sentou-se em nuvem franzina de cadeira de escola
Sobrevoando o pátio onde outrora jogava à bola
Reviu a matéria que deixou esquecida
Na adultidade que se lhe impregnou na vida

Avaliou a presente, olhando para a vida já passada
Com olhos de meninice trazidos no sonhar
Despertou sem tremor ou pesadelo em plena alvorada
Sussurrou, "tem valido a pena", mas ansiando um dia lá voltar

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Vivi quase sempre no sonho Cedo me omiti da realidade Quando realizei o que não vivi Até para sonhar já era tarde E da não vida que se ...